sexta-feira, 31 de julho de 2009

segunda-feira, 27 de julho de 2009

JAY-Z - RUN THIS TOWN FT. KANYE WEST & RHIANNA


Run This Town é o novo single do álbum Blueprint 3 do rapper Jay-Z que conta com as participações de Kanye West e Rhianna. O álbum Blueprint 3 está previsto para 11 de Setembro.

Run This Town ft Kanye West & Rhianna (dirty)

Run This Town ft Kanye West & Rhianna (clean)

SHOWAS (SINGLE 2009)



Os Showas é um grupo de Zouk/RnB da cidade do Lubango com 2 álbuns no mercado, sendo que o primeiro com o título Amor e Ódio, e o segundo Muda. Neste momento, os Showas estão a preparar-se para lançar o terceiro álbum com o titulo "Showa", que conta com participações especiais de Alexandre Pires, Johnny Ramos, Anselmo Ralph e Heavy C.

Por agora trago-vos a single deste álbum que a principio sairá no próximo mês de Agosto.

SHOWAS - SHOWA (single 2009)

iPHONE 3G S FOI DESBLOQUEADO POR UM HACKER DE 19 ANOS


Um jovem anunciou quebra duas semanas após lançamento do smartphone. George Hotz já havia sido o primeiro a quebrar o código do iPhone em 2007.

George Hotz, de 19 anos, desenvolveu um programa chamado "purplera1n", que permite a instalação de software de terceiros, no novo smartphone da Apple, mesmo que não aprovado pela fabricante do iPhone.

Esses não são os primeiros 15 minutos de fama de Hotz, conforme lembrou o site "Inquirer". Aos 17 anos, Hotz foi o primeiro hacker a quebrar o código de segurança do iPhone para que ele pudesse executar aplicativos não autorizados.

De acordo com o site "Tech Herald", o programa "purplera1n" está disponível para Windows, incluindo atualização para o sistema de 64 bits e suporte ao Windows 7, e para o Mac OS X.

O desenvolvedor resolveu antecipar o desbloqueio, já que o grupo de hackers conhecido como iPhone Dev Team planejava liberar a quebra do código de segurança do novo iPhone somente após a Apple lançar a versão 3.1 do sistema operacional do smartphone.

"Pra que esperar até o 3.1? Não é assim que se joga. Nós desactivamos, a Apple arranja, nós encontramos novas brechas (pra desactivar de novo)", escreveu Hotz, de acordo com o site "Ars Technica"

fonte:G1

BOB DA RAGE SENSE - BOBINAGEM (2004)


Bobinagem é o segundo álbum do rapper angolano actualmente radicado em Portugal, Bob Da Rage Sense que foi lançado no ano de 2004 pelo Mad Tapes.

Tracklist

01. Intro
02. Luz do Dia
03. Luta Por Ti
04. Chora Comigo (com Laton e Dilma)
05. Ferramentas do Sistema
06. Hip Hop (com Kool Kleva)
07. Poder Vocal (com Noscar)
08. A Carta
09. Bobinagem
10. A Guerra Do Saber Inaltecer
11. O Meu País (com Salvaterra e Pérola)
12. Não Vim Para Ficar (com Kool Kleva e Laton)
13. Freestyle
14. Refrões da Minha Vida
15. Outro

BOBINAGEM [download]

[videos] MAKONGO + ENTREVISTA + FREESTYLE + ...

MAKONGO (video)



ENTREVISTA + FREESTYLE + ...

sexta-feira, 24 de julho de 2009

PACOTE #1


Mais uma novidade no MeusMambos, desta vez é o "PACOTE". O Pacote nada mais é do que uma pasta que inicialmente terá 5 músicas, todas de rappers da cidade do Lubango com o objectivo de promover mais as cenas feitas no game da minha cidade (Chelas). Para a estreia trago-vos o Pacote #1 (óbvio né!!) com as seguintes tracks:


Tracklist:

Dee - Dream Flow (prod Layow Beat)

Get Rich - Falcons

Melvin - Não Intimidas

Manda e Niria - O Melhor c/ Dji Tafinha e Canicia

Nigga Bass, Melvin, Dek e Yuri Serpente - Selecção de Honra

.

KALIBRADOS - DIÁRIO DA DIGRESSÃO (PARTE 1 E 2)

Quase todos já sabem (quem não sabe fica a saber) que os Kalibrados estão em digressão por Portugal, e pra todo o people que curte os Kalibrados pode curtir também os diários (vídeos) que mostram como tem sido esta digressão (bastidores, ensaios, concertos, entrevistas, convívio, curiosidades, etc...).

To um koxe atrasado mas trago pra vocês a primeira e a segunda parte deste diário.



quinta-feira, 23 de julho de 2009

ENTREVISTA AO RAIVA


Cláudio Van-Dúnem "Raiva" de 23 anos de idade, começou a sua trajectória, em 2001, produziu para artistas influentes e com nome no mercado, como Negro Bué, Big Nelo, Papetchulo, Mc K e outros artistas não muito conhecidos.Em 2007 lançou o seu primeiro de originais "kamikaze" onde produziu a maioria das músicas. Atualmente trabalha na produção do disco dos Wonderfull one e no seu novo cd.Raiva diz que a cada dia que passa aprende coisas novas, sua fonte de inspiração são os produtores americanos como Scott Stortch, Just Blaze, Kanye West, Timbaland, Drumma Boy, Ryan Leslie, Trick Stweart, The Runners, Justice League, The Incredibles, Danja Handz, Micheal cox, Dark Child, Cool and Dre, Play n'Skillz, Jonathan "JR" Rotem, Swizz Beats, 9th Wonder, Black Milk, J Dilla,The Neptunes, Pete Rock, Trackmasters, Hi-Tek , Focus, Teddy Riley, Polow the Don, Jim Josin, StreetRunner. Além de Hip hop gosta de estilos como soul R&B e Reggae.Numa entrevista polémica ele esclarece tudo sobre plágios e sobre alguns problemas que tem tido com alguns artistas nacionais do estilo que segue.Siga a entrevista com exclusividade.

Fundador e CEO da editora Raiva Produções, produtor, músico, compositor, tem mais alguma actividade por citar?
Queria apenas retificar que a raiva produções é uma gravadora e produtora, não é editora e também não sou designer gráfico e nem director de arte, apenas músico, produtor, compositor, CEO e Fundador da Raiva Produções que actualmente chama-se Raiva Baby Records.

Como começou o interesse pela música e pelo gênero hip hop?

Sempre tive interesse pela música, isso desde criança, mas tudo começou pela dança no Alvalade eu dançava tanto "açúcar" que as pessoas me chamavam "maninho açúcar", gostava muito de música que gravava sempre as músicas que passavam na rádio em uma cassete. Depois conheci o DJ GMC que me deu algumas cassetes de tecno e também tive um tio que colecionava músicas, ele gravava-me as músicas. Pelo hip hop comecei a interessar-me em 98 ou 99 se não me engano, a minha mãe comprou-me cassetes dos 2Pac e Gabriel o Pensador, apaixonei-me por esse estilo e desde aquela época não parei.

Sei que começou também ou esta mais ligado ao hip hop underground, sente-se como o protector deste gênero em Angola?
Acho que não. Já estive muito ligado ao underground mas agora não acho que estou ligado ao hip hop em geral, prefiro deixar as vertentes de lado e me preocupar apenas com o hip hop, porque existem bons e maus, tanto no underground como no mainstream e se eu tiver que ser protector, eu irei proteger o hip hop em Angola, todos nós precisamos estar unidos para levar o hip hop longe assim como fez o Yanick.

Underground significa só falar de política, e fazer abordagens sociais de intervenção? Não, acho que underground é um estado de espírito, quando você ainda não é conhecido e pode falar o que quiser, mas quando és conhecido, nem precisas falar de política desde que sejas real e fales da tua vida ou “wherever”. Há o estado underground até um artista que quer fazer ou faz música comercial pode ser underground porque não tem atenção dos mídia então ele está oculto, está em baixo, está no subterrâneo, isso é que significa undergound, mas há a filosofia underground, que artistas mesmo depois de terem sucesso e atenção da mídia continuam fieis a filosofia underground e não fazem rap por dinheiro, pessoas como KRS ONE, Kool Klever e outros.

Como está o hip hop em Angola, vivo ou morto?
Acho que está vivo, enquanto eu existir, enquanto os meus niggaz e eu cantarmos, enquanto eu produzir o hip hop em Angola sempre estará vivo, se bem que está em baixa, mas isso é questão de tempo. “we goin change this game”.

Quem você considera pior do momento?

Considero pior do momento todo rapper “broxista” que para lançar um CD e para fazer sucesso é capaz de tudo, esse é o pior do momento, porque ele está sem banda e não vê como safar-se então faz tudo para bater, vai aqui engraxa, depois vai ali engraxa até conseguir, esse para mim é o pior do momento, rappers “broxistas” nunca serão “number one” estarão sempre em segundo porque o primeiro é aquele que eles engraxam.

Dos álbuns que saíram do estilo rap, qual deles não corresponderam com as expectativas?
Kalibrados "Cartas na Mesa" acho que as pessoas esperavam mais desse CD, mas não superou nem um pouco as expectativas. Não sei o que passou-se, se as pessoas deixaram de gostar se ficaram "podres", se calhar não conseguiram roubar idéias de outras pessoas como fizeram no primeiro CD. O outro CD acho que foi o do Kool Klever, as pessoas estavam a espera do primeiro CD do klever, o CD é um sucesso na sua concepção mas devia ser mais explorado porque é um CD muito inteligente, e eu já ouvi o Klever a dizer que no exterior consomem mais o CD dele do que em Angola, deve ser por isso, porque as pessoas não dão muita importância ao tipo de rap que ele faz, se dão são poucos que dão, eu pessoalmente adoro e o CD e dou a importância porque demorou 10 anos ou mais para ser feito, por isso é um dos melhores para mim e devia ser mais explorados e superar as expectativas. Não importa o ser underground, porque temos CD’s como do Kid MC e “batem” apesar de ser um rap diferente porque existe mesmo diferença entre o mais velho e o "puto" quanto aos outros CD’s que não "bateram" ou não tiveram saída é porque ninguém estava mesmo a espera.

Sabemos que o raiva constituiu família cedo e jovem, como fez para vencer isso, como superou as dificuldades para poder vencer na vida?
Coloquei Deus na minha vida, e busquei forças em Jesus e na família (Avó, mãe e tios), foi fundamental para superar as dificuldades.

Vamos falar um pouco dos artistas nacionais, para si qual é seu top 5 de angola?
Yanick
Reptile
Extremo Signo
Kadaff
Phay Grand O Poeta.

Continua activo academicamente ou desistiu?
Continuo activo, mas de momento dei uma pausa, mas sou estudante da Universidade Independente, é muito complicado quando pagamos a faculdade e precisamos sustentar a família e o resto, sem ajuda de pai, isso fez-me escolher e achei prioritário fazer outras coisas, trabalhar e fazer música que é o meu sustento. Dizer que para muitos estudantes que têm o apoio dos pais é mais fácil, já para mim não, tenho que fazer por mim, e pela minha família (mulher e filho).

Se você pudesse descrever-se em palavras, quais seriam elas?
Jovem, humilde, ambicioso e homem de Negócios.

Qual foi a pior mentira que você ja contou?
Já nem me lembro, deve ser a tanto tempo e nem me lembro.

Quais são as três últimas músicas que você fez download?
DJ Drama Feat. Ludacris, Willie The Kid & Busta Rhymes - My People Will Be Heard.
Rick Ross Feat. The Game, Ja Rule e Fat Joe-Mafia Music Remix
Rick Ross-Depper Than Rap (Lost Intro)

Vários artistas nossos já foram publicamente tachados como sem personalidade, sendo considerados meras cópias de celebridades do showbiz americano. Você acredita que isso aconteça em larga escala no nosso mercado? Se sim, você acha que esse seja um grande motivo para a não valorização dos nossos artistas?
Acho que isso não acontece em larga escala no nosso mercado, se calhar com alguns que preferem assumir personalidades alheias, do que viver as suas próprias vidas, é complicado porque acho que podemos nos inspirar neles, são os maiores exemplos de hip hop que temos, mas imitar é assumir a forma mais baixa de se auto-desvalorizar, acho que para quem está a começar agora e imita, depois de algum tempo encontrará e moldará a sua personalidade artística, vai bebendo daqui e dali, e vai descobrir o que gosta e o que realmente quer fazer, e quem realmente quer ser.

Você é considerado como pai do sample e sample sem permissão é plágio esta ciente disso?
Não concordo com essa afirmação, porque acho que sample sem permissão é apenas sample sem permissão, não significa plágio porque no hip hop há uma arte que é o graffiti e também foi considerada uma arte de vandalismo por pintar paredes sem permissão, mas é uma arte e uma das melhores artes, e hoje já vimos o graffiti a ter grande reconhecimento. Li num blog que no Brasil a arte graffiti foi convidada para fazer uma exposição na assembléia, vários graf-writers fizeram-se presentes; e falando de sample não é só em Angola que se sampla sem permissão, mesmo nos Estados Unidos tem esses problemas o hip hop nasceu com sample e vai continuar assim anos e anos sendo os samples autorizados ou não, temos ai casos que quando o hip hop começou “samplavam” músicas do James Brown, temos produtores como o Timbaland, casos de álbuns como do Lil wayne “The Rebirth” estar atrasado por causa do registro dos samples, o próprio Lil Wayne já foi processado por sample sem autorização mas não chamaram isso de plágio. Li há dias o caso do Akon e dos Bone Thugs, acerca da música “I Tired”, e agora eu pergunto aqui em Angola vamos pedir autorização a quem? Onde? Quanto vendemos para pagar por um sample de 150 mil dólares ou mais? Acho que não dá, e isso de que sample sem autorização é plágio são os jornalistas que criaram essa informação, esse slogan que sample sem autorização é plágio, isso passa por uma definição de sample e plágio, a grande diferença entre sampliar e plagiar, é que sampliar é quando usa-se pedaço da música de alguém e pões na tua música e faz-se referência na ficha técnica, isto é, podes ter o sample de uma melodia ou de uma voz ou qualquer outra coisa e colocas no teu beat, e apartir disto vais desenvolvendo o beat com a base que tens dos drums, basseline , pianos e string ou “wherever” e o sample vai para complementar, muita das vezes mesmo para servir de suporte. Agora a definição de plágio que tenho é quando pega-se algo que não é teu e alega-se ser, isto é pego num beat ou “wherever” e alego ser meu, isto é considerado roubo, é como se chegasse ao teu estúdio e tirasse um beat de alguém e dissesse que é meu quando não fiz, isto é plagiar, só acho mal alguns produtores se apoderarem de algo que não os pertence e dizerem que é deles, isso deixa frustrado aquelas pessoas que estão a criar as suas próprias “batidas” e outros apoderam-se das batida e alegam serem eles os criadores.
.
Que coisas assustam o Raiva?
A morte de pessoas próximas, homens invejosos e com espírito de guerra, os criadores das armas, enfim existem muitas coisas más nesse mundo que me assustam.

O Dinheiro é coisa mais importante na vida?
Definitivamente não, como diz o T.I. “Death Before Dishonor Family Before All” (Morte Antes da Desonra e Família Antes de Tudo) eu identifico-me com essa frase ou é o mesmo que dizer dinheiro acima de coisas fúteis, mas família da acima de tudo.

Agora tem-se falado muito no circulo de hip hop nacional sobre o “beef” acha que ele é um mal necessário? Já agora você tem um “beef” com o Laton dos kalibrados?
Acho que o “beef” é algo salutar, nem sempre é visto como mau porque ajuda os MC's a evoluírem, como eu e você evoluiremos se não tiver oponentes a nossa evolução? Será como algo individual eu não saberei como os outros estão a cantar. Acho os “beefs” negativos quando envolve famílias, e vai para o lado pessoal, as pessoas ameaçam-se assim como 2Pac e Big. Em Angola ainda não chegamos nesse escalão pelo menos no rap mas no “kuduro” já ameaçam-se, lutam e vai para além da música. Falando do Laton e dos Kalibrados “epá” eu não sei se é “beef” ou não porque existem muitos niggaz pussys (maricas), que dão “dicas” nas “tracks” depois ligam para desmentir e pedir desculpas, como o Laton beefou-me numa “track”, depois negou numa entrevista à Rádio Luanda, dizendo que não tinha beefs comigo nem com o Reptile, é isso que chamo “pussy” e digo que não conheço esses rappers porque ignoro-os, não têm b... para dizer na minha cara, já os Kalibrados falando abertamente não falo com muitos dos elementos do grupo, mas quando encontram-me nos shows, já que temos “beefs” ou eles me beefaram, porquê que um deles vem me dar a mão cumprimentando-me, o “Fabious” me beefou mas quer me cumprimentar, se tenho “beef” com alguém não cumprimento, para mim eles são invisíveis e esse “beef” não sei se é mesmo “beef” porque os “niggaz” não estão ao nível, querem “beef” mas perdem sempre.

Projectos futuros, existe no horizonte um novo CD?
R: Um CD colaborativo com o Repitle, Raiva & Reptile - PIMP (Paka Inveja Madonnas e Problemas), CD dos Wonderfull sou o produtor principal e um dos mentores do álbum Mix tapes, caminho e projectos com os meus niggaz Parrudo, Dimensão Mestre Sama e Boni. Bilhete de identidade• Nome completo: Cláudio da Silva Van-Dúnem• Data de nascimento: 22 de Dezembro de 1985• Naturalidade: Luanda• Estado civil: Comprometido• Filhos: 1• Perfume: Paco Rabano Black XS• Estilo de roupa: Street Wear• Marca: Roca Wear• Restaurantes: Miami• Álbum da sua vida: Wu-Tang-FOREVER• Prato preferido: Arroz de Marisco• Hobbies: Internet• Vícios: Dinheiro• Cerveja: Toda que deixa Bêbado.

Can de 2010, sua opinião sobre esse evento?
Não gosto muito de futebol, mas acho que será bom para o nosso país, isso significa se estamos a ser reconhecidos em África.

Você participou em uma das emissões da Rádio Platina, e deu para interagir com o público que é agora de 27 países, já se sente um membro da Platina?
Eu sou um platinado, e sempre serei estou com a platina para o que der e vier, gostei da experiência, por isso cedi essa entrevista.
Agora, desafiamos o Raiva a escrever e gravar uma música falando da revista platina, ela será divulgada por todos países, e poderão baixar no nosso site aceita o desafio?
Desafio aceite Raiva a.k.a. Pai do sample.
fonte:Revista Platina/Nação HipHop
.
Download de 3 faixas recentes de Raiva:
.
.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

ESPAÇO "CLICK PARA DOWNLOAD"

Ya people acabo de estrear aqui no blog o espaço "Click para DOWNLOAD". Dias atrás, postei o primeiro álbum do Bob Da Rage Sense (Underground Konsciente) e aproveito para estrear o espaço com este álbum. O espaço está logo aí à direita e basta clicar na imagem para começar o download. O conteúdo do espaço será modificado dependendo do MAMBO (álbum, mixtape, programa, etc...) que eu queira destacar.
.

BURAKA SOM SISTEMA - BLOOD DIAMOND MIXTAPE



Blood Diamond Mixtape, é a mixtape dos Buraka Som Sistema. Baixem a cena e depois comentem porque a mixtape é mesmo boa.

Tracklist:

01. Diamonds are Forever Intro
02. Dj Znobia feat Jaime Foxx- Africa
03. Buraka Som Sistema – Kalemba "wegue wegue" (Afrikan Boy remix)
04. Os Lambas – Sapo (BSS Edit)
05. Radioclit vs Guns’n'roses – Sweet Secousse of Mine (BSS edit)
06. The Kiss – Black Diamond
07. Tunes for Baby That Won’t Drive You Crazy – Black Diamond
08. Buraka Som Sistema – IC19 (Toy Selecta remix)
09. Buraka Som Sistema – Aqui Para Voces (FAVELA FUNK SAMBA edit)
10. Buraka Som Sistema – Wawaba (James Braun Copyflex remix)
11. Lykke Li – Dance Dance Dance (BSS Remix)
12. Dirty Tricks – Black Diamond
13. Rusko vs Puto Prata – Let’s Go (BSS Edit)
14. Buraka Som Sistema – R.I.A.D.
15. Lil’Joao feat Aloe Blacc – Off with ya head
16. Buraka Som Sistema – Gang Bang feat Blaya
17. David Zé – O Guerrilheiro
18. Johnny Clarke – Come Back To Me
19. Buraka Som Sistema – Sound of Kuduro (D1 remix)
20. Zomby feat Pongolove – Kuduro Rumours (BSS Edit)
21. Rusko – Cockney Thug (BSS Remix)
22. Paul Simon – Diamonds on the soles of her shoes

fonte:Buraka
.

RAIVA E MESTRE SAMA - MAFIA MUSIC



Epa pessoal beefs na área... O Raiva respondeu algumas punchs e o resultado está nesta faixa. O ficheiro tem duas versões dessa track, a diferença entre as versões é que uma tem coro e a outra não (rsrsrs). Baixem a cena e descubram quem foi beefado.




fonte: Cenas Que Curto

ENTREVISTA AO DON-G

O meu tropa Cenas!!! fez uma entrevista ao Don G do grupo Força Suprema, "roubei" as cenas ao Cenas (rsrsrs) e já postei aqui.

Queria que fizesses uma pequena introdução tua. Cenas tipo:
Nome completo: Walter da Silva Carlos
Data de nascimento: 18.01.83 (26 anos)
Residente (*apesar que todos já sabem, rsrs*): Residente em Portugal, Linha de Sintra (Zona dos Índios)
Nível acadêmico: 10° ano
Estado civil: Solteiro
Filhos: 2

Porque Don G?? Como entraste nessa cena de Hip Hop??
Desde que comecei a dar os primeiros passos no Rap os rapazes da zona deram-me esta alcunha. G por causa do futebol, e o DON já da música, então ligou se e ficou Don-G. Já ouço Rap a relativamente a 12 anos por influência de amigos, mas principalmente porque notei que se podia fazer coisas boas em português. Sem sombra de duvidas as maiores influencias que tive foram: Boss AC, Black Company, Kriss Kross e etc...

Quem é o Don G fora do Rap Game?? Exerces alguma profissão??
Uma Pessoa extremamente normal. Pai, marido, amigo, irmão e filho.Além da música só biznos na street que não adianta citar.

Como caracterizas o Rap que fazes??
Diferente. Acho que é um pouco vulgar.Costumo dizer que não sou diferente sou a diferença.

O Rap te tem te proporcionado a alegria que sempre desejaste??
Duma maneira geral sim. Faço o que gosto, o pessoal acarinha e dá para pagar algumas contas com o dinheiro do Rap.

Em muitas redes de TVs, vemos debates sobre a legalização da famosa "Mariana".O que achas acerca disso?? Quais os pontos positivos e negativos que alcançariam caso ela fosse legalizada?? És a favor ou contra??
Sou a favor que legalizem drogas leves para maiores de idade, obvio.Se vivemos em democracia acho que somos livres de fazer e gostar do que bem entendermos (Direitos para todos e deveres só para alguns).

O teu álbum recentemente lançado... Como o descreves??
1 Passo á frente acho que o nome diz tudo.

Ele causou o BUMMM que esperavas??
Creio que primeiro fiz aquele álbum para mim, só depois pensei no resto do mundo. Mas duma maneira geral a aceitação foi positiva, e a reedição está para breve.

Qual o feedback que tens recebido com relação ao teu álbum?? As pessoas têm conseguido criticar-te??
O feedback tem sido positivo, realçar uma dica do meu tropa Dji Tafinha "Eu agrado a gregos e troianos, mas em épocas diferentes"...

Qual música nele que sentiste mais ao escreveres??
Todas duma maneira geral, mas talvez "violência domestica", pois é uma realidade viva no seio das pessoas que me rodeiam e do lugar onde vivo.

Para quando o lançamento oficial em Angola??
Logo que existirem condições credíveis estaremos lá, com certeza absoluta.

Faz parte dos teus planos a divulgação e/ou distribuição dele em mais países da Lusofonia??
Sim. Sinto que os músicos não podem se limitar, logo que houver oportunidade vamos explorar outros mercados.

Acreditas que os Street Niggaz estariam em termos de reconhecimento onde estão hoje, se vivessem em Angola??
Eu acho que nos é que criamos o nosso berço, independente do lugar que estamos ou vivemos. A entrega a musica seria da mesma forma, consoante o habitat temos que nos adaptar.

Pela internet (no vosso blog com vídeos, fotos), pela Tv e muito mais, vemos que os SN têm dado mesmo karga na Tuga.Qual o motivo de ainda não conseguirem dar a mesma karga em Angola?? Existe muita diferença do Rap consumido na Tuga e o que se consome em Angola??
O mercado angolano é totalmente diferente do português ou do pretogues. Nos só fazemos o que sentimos e vivemos. É só isso que colocamos nas nossas musicas. Não vale a pena dizer que tenho um jaguar quando não o tenho, por isso as coisas foram construídas assim só estamos a dar seguimento a um sonho antigo (reconhecimento).

Vocês, acredito eu, influenciaram muito com o vosso estilo. Agora vemos muitos Street Niggaz. Até que ponto a vossa influência pode ter sido negativa para eles??
É bom saber que temos pessoas que nos acarinham e que nos vêem como referência. Agora a parte negativa já é complicada, porque cada street é uma street. É diferente ver a olho nú e ver pela janela.

Das muitas mixtapes que vocês têm lançado, qual te deu mais orgulho de ter participado??
Não existe nenhuma especifica entrego me a todas de corpo e alma.

Achas que o vosso Rap é má influencia para os jovens, com algumas letras um tanto agressivas que vocês fazem?? Achas que vocês fazem apologia ao crime??
Como disse la em cima, isso é o que somos, a vida tem coisas boas e más, e então é isso que ponho na minha musica. Se realmente influencia para o negativismo é algo que não conseguimos controlar, todos somos livres de fazer aquilo que queremos, e ver o que é certo e o errado. Apologia ao crime não. Só nos defendemos como podemos (são os códigos das ruas).

Pensas em voltar a viver em Angola??
Por enquanto não, estou estável cá em Portugal.

Qual o próximo passo que queres dar na tua carreira??
Reconhecimento... E poder estar com grandes músicos, fazer grandes participações, só assim é que crescemos como homens e como músicos, com quem realmente esta cá a mais tempo.

Quais rappers desejas trabalhar algum dia??
Gabriel pensador, Boss AC, Racionais MCs. Do resto não vejo ninguém.

Notei que abandonaram o vosso site para dedicarem-se ao blog. Achas que os blogs vieram (também) para ajudar e facilitar muito a divulgação do Rap??
Acho que sim, desde que dê pra divulgar o nosso trabalho é o mas importante.

Para fechar, considerações finais e shout it outs??
Agradecer desde já o convite para poder deixar cá a minha marca no vosso blog (CenasQueCurto). A todos amantes da minha musica, aos street niggaz, a força suprema.. One love. Sem vocês isso não seria possível obrigado pelo carinho incondicional, Don-G...
fonte: Cenas Que Curto

Para quem ainda não tem o single do álbum "1 Passo a Frente" do Don G, click aqui para download.

terça-feira, 21 de julho de 2009

segunda-feira, 20 de julho de 2009

REPTILE - STONECOLD


Stonecold é o título da track do boy Reptile pra compilação "Madlândia" do Mad Contrário que provavelmente estará nas ruas ainda este ano. Enquanto a cena não sai curtam esta track do boy Tile que à meu ver (ou melhor, ouvir) confirma (no coro) que o "Reptile" sitado pelo Valete no fim da música 10 Anos (também conhecida como "100 Barras") é realmente o Reptile da Pir-line. Curtam a cena...
.
.
.

MQ SOULJA - POR TRAZ DE TUDO VOL 1 E VOL 2 (mixtape)


Directamente de Cabinda (C Town) trago o nigga MQ Soulja com as mixtapes "Por Traz de Tudo" vol. 1 e 2.


MQ Soulja - Por Traz de Tudo vol. 1

BOB DA RAGE SENSE - UNDERGROUND KONSCIENTE (2002)


O tropa Kadijaca pediu que eu postasse aqui os álbuns do Bob Da Rage Sense, então aqui vai o primeiro álbum do mano, lançado em 2002 pela Mad Tapes com o título Undergound Konsciente.
.
Tracklist:
01 - Intro
02 - Conspiração Explosivo Sanguinea
03 - Hip Hop
04 - Imaginação
05 - Cntra o Sistema
06 - Skit
07 - Mutação Orgânica
08 - Amargura Ingénita com RK100AP (Laton)
09 - Poeta Popular
10 - O Renegado
.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

SO MUCH MORE RECORDS APRESENTA



A So Much More Records disponibizou para o público 4 faixas da mixtape “Se Não Sabes Vai Pra Escola Vol.1".
.
"Nesta mixtape vamos poder ter uma intervensão mais activa de rappers internos, a nivel da nossa produtora como: Bori Coca, Rap-Ases, LC, Leo-Mi, Ruzenox, Negro Bué e Boy G" disse Simba a.k.a Coyote “Mr. Manager”
.
A mixtape não será apenas composta de beats americanos, terá também beats franceses, beats de algumas músicas angolanas de álbuns lançados recentemente e outras que serão um “Flash Back” com beats de musicas do “Projecto Abxtrato”, grupo de rap de destaque na cena do Hip Hop nacional em 1997.

Se Não Sabes Vai Pra Escola (sharex)
.
.
.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

MELVIN - NÃO INTIMIDAS


Hoje trago pra vocês em primeira mão a track "Não Intimidas" do meu tropa Melvin. Ele é um dos membros do Motim/Freakshino residente na cidade do Lubango (Chelas City), a track conta com a produção de Dji Tafinha.

.

Prometo que nos próximos dias trarei outros sons desse nigga e vão poder sentir melhor o skill assassino do mano.

Melvin - Não Intimidas

.

NGA E SAM THE KID

BIG NELO FALA SOBRE A SAÍDA DE CAGE 1 E JD DA B-26 E SHOWS


Já tinha confirmado aqui no blog (clique aqui para ver) a saida de Cage 1 e JD da produtora B-26, agora o kota Big fala sobre o assunto.

Big Nelo falou-nos em entrevista sobre o que se passa com a sua produtura. Cage 1 e JD manifestaram-se descontentes em deterimento do empenho que o C.E.O. dá a sua carreira pessoal, facto que no seu entender os coloca na posição de enteados. A nossa fonte revelou-nos que Cage 1 e JD solicitaram reunião com Big Nelo para definir-se regras, o que não chegou a aconteceu já que o Big continua em fase de divulgação do seu álbum no interior e exterior do pais.

Antes mesmo de estar oficialmente confirmada por parte da B-26 a saida de Cage 1, o "puto" deixou escapar numa entrevista a Tv Zimbo (televisão privada de Angola) que abandonou a label num clima de paz e que persite a amizade entre ele e o kota, questionado sobre qual é o motivo que o leva a abandonar a B-26, este respondeu que "o puto cresceu e agora pretende ser kota, ter atitudes de adulto, caminhar com os próprios pés e seguir em frente, Big Nelo é foi e sempre será meu kota, mas chegou o momento em que o filho sai de casa para começar a vida como homem crescido". É dado certo que as declarações de Cage 1 a imprensa confirmam a mudança de camarim, só não sabemos se é para melhor, já que no show de Anselmo Ralph a B-26 (Big Nelo e Leokeny) mantinham o status no camarote VIP e Cage 1 dividia espaço com dezenas de outros artistas.

Para dar credibilidade ao que aqui noticiamos procuramos pelo Big Nelo em Lisboa, lugar onde se encontra para uma temporada de shows, que sem truques abertamente nos respondeu as seguintes perguntas:

Big Nelo, Cage 1 e JD continuam na B-26 ou não?
Não! Já não fazem parte. A B-26 não é um grupo é uma produtora tal como a Sony, artistas entram e saiem.

Eles tomaram iniciativa de se afastarem ou foram afastados?
Chegamos a uma conclusão, que neste momento não dá.

Fale-nos agora sobre a sua temporada de show em Portugal, paralém do Show do Yuri da Cunha que compromissos tem agendado?
Já fiz um show no Algarve e tenho outros por Portugal e vou assinar com a Vidisco para a distribuição do cd aqui na Tuga.

Do pessoal que já ouviu o teu disco em Portugal, qual é o calor que recebe?
Até agora só criticas possitivas.. o Karga é o maior sucesso cá.

Ainda é cedo para se falar sobre um show de Big Nelo em Luanda como tradicionalmente acontece depois de um lançamento do disco?
Outubro ou Novembro, vou deixar o álbum tocar mais um pouco.

Recebemos a informação que tiraram-te de Portugal para cantar no Show da Blue um dia antes e voltou a Portugal no dia seguinte é verdade isso?
Ya é verdade.
fonte:Dino Cross
.

terça-feira, 14 de julho de 2009

ENTREVISTA AO DJ SAMURAI


Quem é o Samurai?
Samurai é apenas um eterno amante da cultura Hip Hop. Paixão esta que se reflete através da minha criatividade no design, na fotografia, nos vídeos que realizo, nas mixtapes, nos pratos, nos beats, no blog, na editora Mad Tapes etc.

Como é que foi a tua inserção no Hip Hop?
Era ainda puto quando por volta de 1985 surgiu cá nos cinemas o filme “Breakdance” com o Turbo e Ozone. Nesta mesma altura manos como Paulo Kumba e outros já apareciam também na TPA a breakar. Adorei a cena, mas ainda não sabia que fazia parte da cultura Hip Hop. Em 86 fui viver para Portugal e foi por volta de 1990 que comecei a inteirar-me mais sobre a cultura. Devia ter uns 13 anos quando um colega da escola falou-me do programa “Yo! MTV Raps” com o Ed Lover, Dr Dre e Fab Five Freddy. Como o velho tinha acabado de instalar a parabólica no cubico, fiquei ligado ao programa religiosamente, gravava tudo em cassetes VHS e quando acabasse o programa revia as tapes repetidamente até a próxima exibição do Yo!. Nomes como Eric B & Rakim, Public Enemy, Kool Moe Dee, LL Cool J, EPMD, Run Dmc, Krs One e depois mais tarde, nomes como Black Moon, Gangstarr, A Tribe Called Quest, De La Soul, House of Pain, Onyx, Wu Tang, Cypress Hill, Nas, Big L, B.I.G etc, foram as primeiras influências musicais que tive dentro do movimento. Epá só sei que fiquei viciado na cena para sempre, e para agravar mais o vício, me passaram os filmes “Wild Style” e “Style Wars”, aí foi o fim, Hip Hop na veia até hoje. Ainda em Portugal por esta altura (90s) comecei a “graffitar” com um mano em Vale de Milhaços/Corroios (Margem Sul de Lisboa), onde eu morava e estudava. Fomos os pioneiros naquela zona. Mais tarde, junto com os manos que jogavam basket comigo, decidimos formar um grupo de Rap com o nome “Red Rasta”. Éramos cinco, no mic tínhamos o Salo, o Eric, outros dois manos que já não me lembro dos nomes, e eu atrás dos pratos e nos beats. Fizemos alguns sons que ainda chegaram de passar no programa do Marinho. Estamos a falar mais ou menos na altura em que saíu o “Rapublica” (1994). Lembro-me ainda de na altura termos atuado num espetáculo na “Escola Secundária de Linda-a-Velha” e o D-Mars ter ficado malaike com a nossa presença em palco, e de nos ter convidado para uma session no estúdio dele. Estava tudo a correr bem com o grupo e de repente o meu velho decide regressar a Angola…fiquei f*** na altura porque já tinha a minha life bem orientada por lá, e Angola pouco me dizia. Hoje não me arrependo…valeu kota!!.
Basicamente foi assim que entrei no Hip Hop e na música Rap.
Quando cheguei cá na banda, o primeiro mano que conheci foi o Mondelane, hoje conhecido como ANKH. Foi ele o responsável por me apresentar todos os boys do movimento na altura, manos como o Afro Kett, MavyMan, Negro Guailla, Kool Klever, Yannick, Mumú (RIP), Rapper Toy, Whiteshadow Killah hoje conhecido como Ikonoklasta, NK, os manos da Ebony Squad, SSP e outros, também não eram muitos. Como já era DJ na altura, comecei a tocar nos famosos meetings que a malta tinha. E foi assim que entrei no movimento local. Lembro-me das andanças como o meu boy Mavy Man pela cidade a procura de cassetes e cds de Hip Hop, das colecções do Rapper Toy e do Whiteshadow, estes manos tinham música, do “Verdades de Arquivo” dos Consciência dAfrica, da Boom Bap Squad, do Big Nelo atrás de mim para por o meu “Benz” no clip deles, de alguns niggas reclamarem dos meus sets por serem muito agressivos e dos manos da Ebony ficarem malucos quando tocasse Onyx nas festas… epá são bué de momentos, se começar a falar de todos nunca mais acabo…mas foram dias em que posso afirmar ter vivido Hip Hop.

Sendo uma pessoa com um curriculum invejável no Hip Hop angolano como é que o vê ontem e hoje?
Antes as cenas faziam-se por amor a camisola, havia poucos interesses senão o Hip Hop em si, como arte e cultura. Poucos tinham pressa em lançar, o próprio Yannick é o maior exemplo disso, o mano na altura era DJ, nas calmas, aprendeu a arte de escrever e rappar e quando se sentiu pronto, lançou o seu primeiro álbum somente em 2008 e foi o maior sucesso de todos os tempos na história do Hip Hop angolano. Hoje todo o mundo quer aparecer, já ninguém aceita esperar e aperfeiçoar primeiro a arte, parece que o mundo vai acabar amanhã. Quase todos tem um “home studio” em casa e gravar uma maquete é muito menos complicado que antigamente. Então a maioria desta nova geração só quer saber em lançar e aparecer, basta o patrocínio de um tio e boom, portaria marcada… saturaram tanto o mercado e não foi a atoa que o termo “bater na rocha” apareceu. Mas claro, a evolução é inevitável e concerteza temos muitos aspectos positivos relativos ao movimento atual. Hoje o mercado é muito maior, já há mais saída das nossas obras musicais, mais consumidores, temos melhores estúdios, mais produtores, mais realizadores e videos no mercado, designers, sites, blogs, o graffiti tecnicamente evoluiu bastante com a chegada do Spent e da Baw Crew. Temos poucos B-boys, mas já apresentam um nível superior aos b-boys da velha escola. A sociedade já respeita mais o Hip Hop, as rádios e televisão já passam mais Rap nos seus programas, basicamente a grande diferença entre o Hip Hop de ontem e o de hoje é o mercado em si, que hoje apresenta uma maior abertura e um maior volume de negócios.

Sobre os bifes que tem existido atualmente entre alguns rapers o que tem a dizer?
Desde que a cena não saia fora Hip Hop, tasse bem. O verdadeiro MC está consciente que se trata de confrontos verbais apenas. As batalhas líricas nas ruas e nos espetáculos, os disses nas tracks, tudo isto já vem desde o surgimento do Hip Hop no Bronx, é parte da essência. O que houve entre o BIG e o Tupac pouco teve haver com o Hip Hop. Não podemos limitar o MC, Rap é liberdade de expressão mano.

Fala-nos um pouco sobre a Mad Tapes (surgimento, desenvolvimento, projectos, trabalhos futuros).
Após o lançamento da minha primeira mixtape, e a primeira mixtape feita em Angola entitulada “Ruas de Luanda” em 1999, comecei a espalhar umas cassetes (daí o nome de Mad Tapes) com um conteúdo mais underground, naquela de dar a conhecer aos kambas o mundo subterrâneo, a cassetes vinham mesmo como o nome “Mad Tapes” Vol.01, Vol.02, etc. Saíram vários volumes, os últimos já com algumas tracks nacionais. Lá para 2001 decido criar uma editora independente com o objetivo de pôr fora artistas locais. Neste mesmo ano sai assim “Carnes” dos Hemoglobina, o primeiro álbum independente/underground feito em Angola e com o selo Mad Tapes. Daí adiante, em termos discográficos lançamos:

02) Ishing (Samurai e Raf Tag) – “A Ciphra da Lua Negra” 2002
03) Bob da Rage Sense – “Underground Konsciente” 2002
04) Afro Kett – Boom Bap (single) 2003
05) Bob da Rage Sense – “Bobinagem” 2004
06) Afro Kett – “Sente o Mambo” 2004
07) Kool Klever – “Kooltivar” (single) 2004
08) Absolutos – “Em Peso” 2005
09) DJI Tafinha – “Noites em Branco” 2005
10) DJ Samurai – “O Último Samurai” A Mixtape 2006
11) Raf Tag – “Demonocracia” 2007
12) Kid Mc – “Caminhos” 2008


Fora da área discográfica a Mad Tapes organizou o primeiro “Workshop” de Hip Hop em Angola (2001), onde foram debatidos vários temas relacionados com a cultura Hip Hop e onde também juntos estiveram presentes (por via de demonstrações) os quatro elementos principais deste movimento, ou seja, o Mcing, o Djing, o Graffwriting e o B-Boying. A Mad Tapes também esteve envolvida em dois programas de rádio de grande popularidade no seio do movimento, são eles o “Da Bomb Diggy” e o “Nike Repz” na LAC. Outro projecto que a label está envolvida desde 2005 é o blog online da “Mad Tapes” (http://madtapes.blogspot.com), que além de publicar cenas relativas a editora e sneakers, também tem apoiado bastante o movimento nacional. Para 2009, estou a ver se arranjo tempo para gravar a mixtape “O Último Samurai” parte II. Para sair lá para o fim do ano. O Kid está neste momento a preparar uma mixtape que lançaremos também este ano, e o mesmo já está a escrever letras e a escolher beats para o próximo álbum. Há projetos interessantes de merchadising também a sair em 2009.

Fora da Mad Tapes o que tem feito?
Bem, eu formei-me em “Comunicação Visual”, portanto quando não estou envolvido com a música e a editora Mad Tapes, estou virado para os meus trabalhos nas áreas da fotografia, vídeo e design. Quase sempre com projetos ligados ao Hip Hop. No fim acaba tudo por interligar-se. Profissionalmente trabalho como “Director de Produção” numa agência de publicidade.

Como é que foi trabalhar com rappers de boa qualidade na sua primeira mixtape da série “O Ultimo Samurai”?
São manos que um gajo já conhece há certo tempo, uns mais novos outros mais kotas. Houve uma consideração e respeito mútuo entre os artistas e a minha pessoa, e para mim, isso é o mais importante. Foi uma experiência bem positiva, juntar tanto talento na X10 (valeu D.H.) e ouvir diferentes flows, punchs, disses, etc. Este ano tenho que juntar o peeps novamente.

O que podemos saber sobre a 2ª mixtape?
Mais maturidade e menos brincadeira. Houve alguns MC´s que brincaram na mixtape, este ano não há chances. Quero fazer a merda mais fodida que já saíu neste mercado. Aguardem!!!

Qual é a tua visao sobre o rap under e o comercial cá na banda?
Sinceramente já ando farto desta conversa. Para mim há Hip Hop, há bons MCs e fracos MCs, tanto no underground como no mainstream. Todos promovem e comercializam as suas obras. O Kid Mc, por exemplo, foi mais bem sucedido comercialmente que muitos MCs ditos ou considerados comerciais. A diferença destes dois universos verifica-se mais na temática e sonoridade. Na maioria dos casos e obviamente, o rap dito comercial tem maior aceitação pela sociedade e os órgãos de comunicação (TV, jornais, radio, revistas etc.) que pouco entendem sobre a verdadeira essência do Hip Hop e optam por produtos mais rapidamente processados, consumíveis e compatíveis com o sistema. O underground por sua vez já se apresenta na maioria dos casos mais intervecionista e inconformista perante o sistema atual, tanto pelo seu conteúdo lírico como pela sua sonoridade. Ora isto incomoda bastante aqueles que preferem uma sociedade que aceita as coisas como são. Esta forma de fazer Hip Hop é considerada Underground por não ter a mesma exposição e aceitação que o rap comercial. Mas tudo isto é relativo e pluralista. Temos casos de artistas underground que conseguem alcançar o mainstream e aceitação pela sociedade em geral, e de artistas comerciais que continuam no anonimato e sem afirmação nenhuma no mercado. Já fui muito radical neste assunto, mas hoje vejo esta linha divisória muito fina e transparente, pois admiro artistas tanto do movimento under como do mainstream. Identifico-me claramente mais pelo Underground por ter mais significado com o meu estilo de vida e estado de espírito e por estar mais ligado a essência do Hip Hop. Mas não condeno o movimento comercial ou mainstream, condeno sim a falta de skill, ignorância e arrogância de fracos mcs tanto no mainstream como no underground. É difícil acreditar mas há gajos no movimento que nem sabem o que é um "Break Beat".

Quais as tuas fontes de inspiração no Hip Hop?
A sua essência. Fazer cenas novas, mas sem esquecer os fundamentos. Tenho sempre o passado como referência para criar projetos inovadores. Não é bem inspiração, diz-se que inspiração é para amadores, tem mais haver com referência e tendências que formam o teu
universo cultural.

Sente-se realizado no Hip Hop?
Há sempre elementos novos dentro do movimento, sejam eles novos Mcs, novos produtores, novos Graffwriters, novos albums e produtos, etc. Por isso ainda tenho muita cena para lançar e mostrar via Mad Tapes e não só, acho que ainda é muito cedo para me sentir realizado se bem que já estou nesta cena há muito tempo.

Ultimas considerações (abraços, kandandus, aviso, publicidade)?
Um abraço a todos os manos que continuam firmes e com garra no Hip Hop e a todos aqueles que continuam a apoiar a Mad Tapes. Sem vocês tudo isto não seria possível. Obrigado mesmo.
fonte:Kiangola

segunda-feira, 13 de julho de 2009

DESENRASCAR OU MORRER (promo tracks)


Desenrascar ou Morrer é a sucessora da mixtape Duplo M (Make Money) do boy Masta, inicialmente prevista pra esse mês. Aqui estão 2 promo tracks, espalhem o mambo...


fonte: Força Suprema
.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

COMO BAIXAR VÍDEOS DO YOUTUBE (sem programa)

É sabido que existem vários programas para baixar os videos que estão no YouTube, mas o que pouca gente sabe é que mesmo sem um programa é possível baixar os vídeos. Queres saber como?? Siga as instruções:

• Entre no site www.youtube.com e procure pelo vídeo do qual você deseja fazer o download. Após encontrado o vídeo desejado, clique para abrir como se você fosse assisti-lo. Depois de ter feito isso, vá até a barra de endereços: Lá estará um link parecido com este:

http://br.youtube.com/watch?v=D-Kfcq5KM9o

• Vá até a barra de endereços e apague a palavra " watch? " , apague também o sinal de igualdade " = " , no lugar do sinal de igualdade coloque " / " , ficará assim:

http://br.youtube.com/v/D-Kfcq5KM9o

• Aperte ENTER (no teclado do computador), o vídeo ficará em uma tela inteira, após aparecer o vídeo na tela inteira, note que o link estará diferente, ex:

http://br.youtube.com/swf/l.swf?video_id=D...hCSqVwd103kqfYV

• Apague " swf/l.swf " e coloque " get_video " , ex:

http://br.youtube.com/get_video?video_id=D...hCSqVwd103kqfYV

• Aperte ENTER e pronto, abrira a janela perguntando aonde você deseja salvar o arquivo.

OBS: APÓS TERMINAR O DOWNLOAD NÃO ABRA-O, RENOMEI-O, COLOQUE " . " E O FORMATO QUE DESEJA, EX: "Mambos.Avi"

fonte:MSNTruques
.

YANNI BRAULYU


Yanni Braulyu é um cantor de r&b, angolano, actulamente residente em Portugal mas sempre com Angola no coração e na alma... Deixo aqui para download a música "Acabou" que segundo ele "tem um toque de anos 90 da época de ouro da música negra".

Yanni Braulyu - Acabou (prod Valito)



Contactos do mano:
http://yannithe1.hi5.com
www.myspace.com/yannibraulyu
fonte:Swagga N Se Vende
.

terça-feira, 7 de julho de 2009

DIRECTAMENTE DA BLACK INK

Ya pessoal, tive com o meu tropa Cmc e ele disponibilizou-me uma "promo track" do seu próximo album que sairá apenas no próximo ano e também vem na mixtape (só com beats originais) Amor e Negócio vol. 2. A outra track é do maxi-single dos Black Soldiaz que provavelmente estará nas ruas já em Setembro.

Cmc - Desenraska (Survivor)

Black Soldiaz - Black Ink é a Krew

*Também aproveito para pôr aqui no blog um novo link para poderem baixar a mixtape Impakto pt. 2 do meu tropa Nga, já que muitas foram as reclamações sobre o link do servidor Megaupload.

Nga - Impakto pt.2 [sendspace]

V. C. - PASSO A PASSO

V. C. é um dos ex-integrantes do grupo Flexíveis, que lança pras ruas o seu promo-single "Passo a Passo" que comporta 4 faixas, sendo que uma é remix da outra e conta com a participação do rapper Mr K (ex-kalibrados).
.
Além do single, o ficheiro inclui o video-clipe da música "Eu Vou Te Tirar" ( remix ft. Mr K)
.
Downloads: Usaupload / Mediafire
fonte: Luso Hip Hop
.

PROIBIDO FUMAR


Está espresamente proibido o acto de fumar nas discotecas de Angola de acordo com o decreto aprovado quarta-feira (01.07.2009) pelo Conselho de Ministros, na sua quinta sessão extraordinária, orientada pelo PR.

Segundo esta nova disposição de ordenamento jurídico, fica também vedado o uso de tabaco em todas as instituições públicas das adiministrações locais ou centrais do país, independentemente de prestar serviço ao público ou não.

Assim ficam abrangidas como áreas de proibição, as instituições hoteleiras, restaurantes, cabines telefónicas, aeroportos, estações, WC públicos entre outros.

De acordo com esse diploma o uso de fumo só será permitido, em zonas onde o fumador esteja só, e não pode prejudicar a saúde de outras pessoas "quer fumador ou não fumador", afirmou o director do gabinete jurídico do MAPESS, Jesus Faria Maiato.
fonte: Angonoticias/Bué de Dicas


Agora o poster dos rappers e dos bradas armados em gangsters acabou (hahaha).